Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

sicblogue

No próximo "Momento da Verdade"

Rosa Maria Coelho, de 55 anos, é a última concorrente de ‘O Momento da Verdade’, SIC. Hoje divide o espaço televisivo com Henrique Pina e na próxima terça-feira responderá às restantes perguntas. "Não cheguei aos 250 mil euros", confessou ao CM a concorrente que participou "porque sempre quis saber como era a televisão por dentro".
A farmacêutica, que se fez acompanhar pelo marido, António, pela filha, Maria José, e pelo amigo do casal, José Paiva, concorreu para ajudar o próximo e não teve pejo em revelar que, apesar de uma vida em comum feliz, não considera o marido um bom amante, pois "há falta de tempo para os ‘preâmbulos’. Isso é coisa que não existe lá em casa."
Descontraída, Rosa respondeu ainda pronta e afirmativamente a perguntas como: "O seu marido foi o primeiro e único homem que beijou?" e "Está arrependida de ter casado virgem?" "O amor tem cheiro e aroma e eu gosto muito do meu marido", adiantou sem hesitar, nem mesmo quando Teresa Guilherme avançou com o nome de Richard Gere. "Esse só se fosse para dançar", desdenhou.
Rosa confessou que o marido também foi virgem para o casamento. "Nenhum de nós sabia o que fazer na noite de núpcias. Até andei a mudar lâmpadas", revelou. Daí que esse não tenha sido o dia mais feliz da sua vida. "O meu filho João nasceu de cesariana e a Maria José de parto natural, por isso o dia em que ela nasceu foi o mais feliz da minha vida", contou.
A 13.ª PERGUNTA FOI-LHE FATAL
Henrique Pina já foi um dos donos da noite da zona Oeste. Os negócios não correram bem e hoje, com 40 anos, é motorista – transporta strippers e alternadeiras de e para o clube de um amigo – e é sócio numa empresa hoteleira, na Rinchoa. Foi a ‘O Momento da Verdade’ para organizar a vida, mas a 13ª pergunta foi fatal: "Alguma vez alguém lhe pagou um favor com sexo?" Henrique respondeu não, mas, segundo o polígrafo, mentiu. Pai de três filhos – fruto de dois casamentos, o último com Sheila, ex-alternadeira –, confessou que se ganhasse dava uma prenda de aniversário aos filhos. "Não tenho dinheiro para lhes dar nada", disse , emocionado. Henrique frisou que sua causa os pais perderam a casa. "Éramos fiadores e se não vendesse a casa o banco ficava com tudo", explicou a mãe, Maria Rosa.
fonte: CM