Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sicblogue

Rita Andrade no "Mundo dos Recordes" estreia HOJE

A jovem apresentadora poderá, a partir deste sábado, ser vista em dose dupla na antena da SIC. Se ao domingo já era presença assídua em "Fama show", agora tem a seu cargo o programa "Mundo dos recordes" ao sábado à noite.
Integrar o "Guinness Book" mobiliza muitas pessoas no sentido de excederem os seus próprios limites. Alguns dos feitos, de pendor singular, comportam riscos até para a integridade física. Ainda assim, o preço a pagar parece valer a pena, não fosse a adesão massiva que chega a juntar comunidades inteiras. Aliás, Portugal é um país particularmente sensível ao reconhecimento das suas epopeias a este nível.
"Mundo dos recordes", cuja estreia acontece hoje, pelas 23 horas, na estação de Carnaxide, reportará "as proezas mais divertidas, excêntricas e algumas até bizarras", sendo que, "os autores estarão em estúdio por forma a tentar bater os seus próprios recordes", esclarece Rita Andrade, a quem cabe conduzir o formato.
Para o efeito, apresentadora teve de se deslocar a Madrid, onde decorreram as gravações, tendo em conta "que se trata de uma co-produção com um canal espanhol", explica. Quanto à presumível dificuldade na conciliação com o "Fama show" comenta: "Não existem impossíveis. Fiz algumas pontes aéreas entre Portugal e Espanha, mas quem corre por gosto não cansa".
Destaca algumas das verdadeiras epopeias que mais a marcaram. "O homem que mais tempo aguenta debaixo de gelo, ou o que mais operações fez para se parecer com um felino", classificando este último de "assustador".
Conteúdo "de entretenimento para toda a família" é como descreve "Mundo dos recordes", pelo que não deixa de ser mais um que se entronca no conceito de "light entertainment" a somar à vasta oferta do género que a SIC propõe e que tem vindo a granjear bons resultados de audiências.
Mas afinal, onde mora o segredo para uma receita de contornos, aparentemente infalíveis?
"Todos ouvimos a palavra crise demasiadas vezes. Este tipo de programas provoca uma evasão necessária e faz com que possamos descontrair e saborear lufadas de ar fresco e de optimismo", responde. Confessa adepta de adrenalina, Rita mostra-se ansiosa pela reacção do público. "As minhas expectativas são altas", diz.
fonte: site JN

"Malucos do Riso" regressam segunda-feira

A estação de Carnaxide anunciou para segunda-feira a estreia de uma nova série de episódios do popular programa de humor “Os malucos do riso”. O programa vai para o ar a seguir ao “Jornal da noite” e terá alterações a nível de actores, cenários e piadas.
O formato estreou na SIC em 1995 e rapidamente se tornou num dos programas mais populares. Do seu elenco fizeram parte nomes como Guilherme Leite, João de Carvalho e o falecido Camacho Costa.
O sucesso desta série já levou a que fossem criada outras versões como “Os malucos na praia" ou "Os malucos nas arábias".
fonte: JN

Podia Acabar o Mundo com final trágico

Afonso Lopes, João em ‘Podia Acabar o Mundo’, confessou, nas gravações finais da novela da SIC: “Tive muito medo do Eduardo (Virgílio Castelo) nesta cena, ou seja, pensei no medo que sentiria se aquilo me acontecesse na vida real”.
Aos 13 anos, a nova estrela da TV porta-se como um homem quando a violência das cenas assim o exige. Foi o caso daquela em que Eduardo ameaçou João com uma pistola. Contudo, é o vilão quem morre, com dois tiros disparados pela própria mãe, Laura (Lurdes Norberto). Ver os pais, Vera (Joana Seixas) e Rodrigo (Diogo Morgado), reconciliados no final era o que o jovem actor mais queria. “Também queria um irmãozinho ou uma irmãzinha para o João. E um cão”, adianta.
Afonso Lopes frequenta o oitavo ano e a produtora SP Televisão teve de desmarcar algumas datas de gravações para que ele não faltasse às aulas. “Gostava de fazer outras novelas mas, se calhar, a minha mãe não deixa, pois prometi tirar boas notas e estas baixaram”.
OS VALORES TRADICIONAIS FALAM MAIS ALTO
FAMÍLIA FELIZ NO FINAL
A solução encontrada pelo autor da novela, Manuel Arouca, para João e os pais, Vera e Rodrigo, foi considerada “justa” por todos. Este era o final desejado por Afonso Lopes e Diogo Morgado.
fonte: site CM

Jade Goody HOJE na SIC

"O mundo não está preparado para viver sem mim. O mundo precisa de mim", atira Jade Goody, sorridente, depois de uma sessão fotográfica com os filhos para a revista Love it, num hotel nos arredores de Londres. Este é um dos muitos momentos vividos pela estrela nascida do reality show britânico Big Brother (2002) e que o documentário da Living TV revela hoje, na SIC, às 23.45.
Jade Goody, a rapariga de 27 anos, nascida em Essex, que morreu dia 22 de Março, e que vai hoje a enterrar, lutou durante meses contra o cancro do colo do útero, descoberto em Agosto de 2008, quando participava no Big Brother indiano. E foi justamente esta parte da sua vida que aquele canal de TV por cabo quis registar (tendo pago, juntamente com a revista OK! 1,5 milhões de euros), dinheiro que ficará para a educação dos dois filhos de Jade Goody, Bobby, cinco anos, eFreddie, quatro.
Mas quem espera ver neste documentário, que começa em Outubro de 2008, uma Jade Goody morta ou derrotada pelo cancro desengane-se, pois vai ver uma Jade Goody alegre, forte, mãe preocupada e até uma actriz em potência, apesar dos vómitos, das dores, do mal-estar resultante das violentas sessões de rádio e quimioterapia.
Entre a alegria do desenho de uma tatuagem com o nome do seu namorado (que se tornou marido em Fevereiro), Jack Tweed, de uma sessão de autógrafos do seu segundo livro, dos ensaios para fazer de bruxa má numa peça de teatro ou dos preparativos para a chegada do Pai Natal, Jade Goody vai falando da doença e do facto de deixar-se filmar 24 horas por dia. "É um diário para mim, para eu ver como estava quando estava a ultrapassar o cancro. não sabia nada sobre o cancro...", diz animada, esforçando-se por não perder a sua imagem de mulher bonita. Só que a sua situação piora rapidamente e, em Janeiro de 2009, surge uma Jade Goody destroçada, sem cabelo... "Oh! mãe pareço uma pessoa com cancro", diz Goody entre soluços e lágrimas, enquanto a mãe, Jackiey tenta reconfortá-la ensinando-a a usar um lenço na cabeça. "Para ser sincera, tenho vergonha de ser filmada assim (chora). Podem deixar-me um pouco sozinha...", reforça Goody, enquanto bate com a porta, deixando a câmara do lado de fora num momento raro no documentário.
Por este programa passam muitos amigos, mas é por Jack Tweed que ela anseia. A cumprir pena por furto, este jovem de 21 anos sai em liberdade condicional (com pulseira electrónica) para os braços da sua amada. O casamento vem a seguir, na segunda parte do documentário que a Living TV irá exibir no Reino Unido, dia 9.
Entretanto, hoje o funeral de Jade Goody, tratado de acordo com as suas indicações, é já considerado o grande evento televisivo. De acordo com a imprensa britânica, os filhos de Goody não vão assistir ao funeral da mãe. O pai, Jeff Brazier, e a avó, Jackiey, acham os rapazes são demasiado pequenos para lidar com uma emoção tão forte. Assim, Jeff levará Bobby e Freddie numa viagem à Austrália.
Jade Goody deixou escritas todas as indicações para a realização do seu funeral. Segundo a revista People, o funeral vai contar com uma procissão de 21 carros, que sairão da casa da jovem, em Essex, para a igreja St. John Baptist, em Buckhurst Hill. E, como são esperadas muitas pessoas neste percurso, foram instalados grandes monitores de televisão pelo caminho. Já na igreja, os familiares, amigos e fãs ouvirão a música preferida da jovem, All Things Bright and Beautiful. Por fim, a jovem, usará o vestido de noiva e o anel de casamento, vai ser sepultada no Epping Forest Burial Park.
fonte: site DN