Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sicblogue

Ambição foi apresentada esta tarde!

Diana Chaves, Rogério Samora, Ana Nave, Cláudia Vieira, Ângelo Rodrigues, Sandra Barata Beto e Dânia Neto são apenas algumas das caras da nova novela da SIC que foi lançada esta tarde!

Ambição, nome provisório, traz de volta alguns dos nomes conhecidos do público português nesta novela escrita por Pedro Lopes, o mesmo argumentista de Dancin' Days, atualmente no ar.

Temos uma mulher em Alta Definição este sábado

Actualmente está em cena com uma peça de teatro mas sábado é a entrevistada de Daniel Oliveira. A atriz Sandra Barata Belo que está em cena com “Morreste-me” vai revelar-se numa entrevista cheia de vida, de emoção, de alma. A não perder sábado a partir das 14h00 em Alta Definição logo após o Primeiro Jornal.

Ricardo Carriço na próxima novela do canal

O“casamento” entre a SIC e Ricardo Carriço está para durar. Apesar de ainda faltar algum tempo para o arranque da próxima novela da estação, previsto apenas para o fim do ano, o ator já está confirmado no elenco, como conta uma fonte conhecedora do processo à Notícias TV. “Sim, nos corredores já se comenta que ele está certo no elenco da próxima novela”, revelam-nos.

Nos últimos tempos, Ricardo Carriço tem estado ligado a Carnaxide. Entre 2010 e 2011, o actor deu vida ao Jaime de Laços de Sangue e, recentemente, gravou uma participação especial em Dancin’ Days, onde interpreta Artur, um ex-namorado da protagonista Júlia (Joana Santos), que surgirá nos ecrãs dentro de alguns episódios. Apesar de terem sido papéis com menos intensidade do que o de um protagonista, a verdade é que nesta nova produção o actor deverá interpretar uma personagem marcante, não se sabendo ainda se estará na calha para dar vida a uma dos protagonistas, adianta a mesma fonte. Até ao fecho desta edição não foi possível estabelecer contacto com Ricardo Carriço, que manteve o telemóvel desligado. Por enquanto, ainda são conhecidos poucos pormenores sobre a trama que vai ocupar o lugar de Dancin’Days.

Em maio último, Júlia Pinheiro revelou que não será um remake, mas sim um argumento original, da responsabilidade de Patrícia Müller, que escreveu Rosa Fogo.

Contactada pela Notícias TV, a autora remeteu explicações para a SIC. Do elenco deverá constar grande parte dos atores que mantêm vínculo com a estação de Carnaxide, e que estão, neste momento, sem nenhum projeto, como Diana Chaves, Cláudia Vieira, Rogério Samora, Helena Laureano, Maria Emília Correia, Manuel Cavaco, Diogo Morgado, Andreia Dinis ou Sandra Barata Belo. 

Dânia Neto fala sobre um possível contrato de exclusividade

Sem revelar muito acerca do seu futuro, Dânia Neto lá vai dizendo que não se importava de ter um contrato de exclusividade com a SIC. A actriz que ultimamente tem trabalhado em várias produções da SIC (por exemplo, Laços de Sangue e Rosa Fogo) refere em entrevista ao Jornal de Notícias que “se essa situação acontecer é uma questão a ponderar” até porque segundo a própria “é uma segurança” face ao estado actual da profissão. Quando questionada se já recebeu convites para assinar por uma estação de televisão, Dânia refere apenas que “tenho sido solicitada, bastante”.

A actriz que dá a vida a Glória Rufino está contente com as personagens cómicas que tem feito. “Tive a sorte de fazer estes dois papéis para poder mostrar às pessoas que sou versátil e sei fazer várias coisas diferentes” esclarece.

Recorde-se que o canal tem contrato de exclusividade com Diogo Morgado, Diana Chaves, Cláudia Vieira, Custódia Gallego, João Ricardo, Inês Castel-Branco, Sandra Barata Belo, Manuel Cavaco, Helena Laureano, Maria Emília Correia, Joana Santos e Rogério Samora.

Sandra Barata Belo disponível para a nova produção!

Gabriela Sobral, Nuno Santos e a sua equipa, em parceria com a TV Globo já trabalham na nova produção que irá substituir a novela protagonizada por Diogo Morgado, Joana Santos e Diana Chaves.
Pedro Carvalho, Manuel Cavaco, Helena Laureano, Patrícia Bull, Andreia Dinis ou Cláudia Vieira poderão ser alguns dos actores que vão entrar na substituta de Laços de Sangue! Sandra Barata Belo é outro dos nomes falados. A confirmar-se será um regresso à estação onde já fez Perfeito Coração que começou tímida e acabou com grandes audiências!
Esta novela poderá ser uma adaptação de um sucesso brasileiro da TV Globo. Em declarações à Notícias TV que Sandra Barata Belo confirmou estar disponível para o pequeno ecrã, estando avaliar a proposta da SIC para integrar o elenco da sucessora de Laços de Sangue.

Andreia Dinis protagonista na novela Tarde Demais

Está de férias, algures na neve. Mas aos 32 anos, em breve, Andreia Dinis voltará à lufa-lufa das gravações, preparando-se para abraçar aquele que será o seu primeiro papel de protagonista. Tudo acontecerá em Tarde Demais, título provisório da novela sucessora de Perfeito Coração na grelha da estação de Carnaxide.
A actriz, que na actual novela da SIC dá vida a Leonor, a melhor amiga da protagonista vivida por Sandra Barata Belo, só durante esta semana ficará a saber mais detalhes sobre a sua nova personagem.
De momento, os únicos dados públicos sobre esta nova aposta da SIC na ficção nacional passam pela autoria da história - do experiente guionista Manuel Arouca - e pela provável data de estreia - preferencialmente em Maio.
Recorde-se que Andreia Diniz estreou-se no pequeno ecrã na novela Baía das Mulheres, também fruto da imaginação de Arouca.
fonte: site Destak

Sandra Barata Belo em entrevista

Até 2009 Sandra Barata Belo era uma actriz praticamente desconhecida do grande público. No ano passado, o papel de Amália Rodrigues, no filme dedicado à diva do Fado, deu-lhe um Globo de Ouro e a exposição pública. A actriz pode ser vista actualmente noutro registo, na novela da SIC "Perfeito Coração".
Este último ano foi o da sua consagração como actriz?
Houve trabalhos mais pequenos que fiz, não tão mediáticos que me deram imenso prazer. Agora, tendo em vista uma perspectiva de uma careira mais solidificada de actriz, que passa por esse reconhecimento do público, então sim.
Ainda sente os efeitos de ter interpretado Amália?
Acho que vou sentir sempre. É uma coisa que não vai desaparecer. Há personagens que nos marcam. E a mim, sem dúvida que será Amália.
Que papel lhe trouxe mais notoriedade junto do grande público, o de Amália ou agora o de "Leonor" na novela da SIC, "Perfeito Coração"?
Amália trouxe-me um lugar de prestígio. "Leonor" vem mais ao encontro do grande público. Também acho que as duas juntas dão para perceber que eu consigo ser uma actriz minimamente versátil. Que faço o papel de uma Amália que é um ícone nacional, um trabalho de época que obriga àquela composição de personagem. E depois interpreto uma personagem mais actual, mais dramática, em alguns momentos.
O que aprendeu com cada uma?
Uma coisa é cinema outra é televisão. No cinema aprendi a trabalhar mais com o olhar e com o detalhe. Tive longas conversas com o realizador e com os outros actores. É um processo mais intimista em que se questiona as coisas, mais à semelhança do teatro. Na novela não deixo de questionar, mas são muitas as cenas feitas diariamente e não há uma preparação como eu gostaria. Se bem que na SP Televisão, que é a produtora da novela, tivemos quatro semanas de ensaios o que deu para interiorizar bastante as relações (entre personagens).
Além da novela também a vimos recentemente no cinema, no filme "Uma Aventura na Casa Assombrada". É mais gratificante representar para o público infantil?
A sala responde em uníssono, quer seja em cinema, quer seja em teatro. Estou habituada a fazer teatro infantil e o público é muito expontâneo. Mas não faço grande distinção para os públicos. Quando recebo as peças, ou o guião neste caso, já sei do que se trata. A "Bárbara", de "Uma Aventura" pertencia aos "maus" e nesse universo há sempre umas personagens que tocam o irrisório e o surreal. São personagens cómicas. A "Bárbara" é uma má, mas é quase um boneco. Foi giro, porque gosto de fazer todo o tipo de trabalhos.
Numa conversa anterior com o JN disse que queria ter uma "carreira atípica". Continua com vontade de experimentar vários géneros?
Sim. Eu gosto de fazer muitas coisas. Há dez anos que sou actriz, tenho feito muitos trabalhos e só agora é que o grande público me conhece. Tenho feito sempre coisas diferentes e gosto de tudo e se calhar não nasci no país certo. Acho que durante muito tempo fui um bocado julgada por fazer tudo. Em Portugal senti que por saber fazer malabarismo não poderia ser considerada actriz, porque os actores não fazem esse tipo de coisas. Não estou a dizer que hoje as coisas sejam assim. Talvez eu as percebesse assim porque era muito nova e mais explosiva.
Onde iniciou a sua formação como actriz?
Foi no Chapitô. Fiz os três anos. E depois, sempre que posso, faço formação. No ano passado estive a fazer um curso de técnica da máscara com Filipe Crawford. Este ano, em Fevereiro, vou fazer um workshop com Robert Castle, um norte-americano que vem cá ensinar técnicas e método. É importantíssimo para um actor estar constantemente a fazer formação.
Além da formação que outros projectos tem para o futuro?
Vou fazer teatro, mas não posso falar ainda muito sobre isso.
As pessoas já a começaram a abordar na rua? É-lhe difícil esse contacto?
Não, não é difícil. Obviamente que há dias em que estou mais com os meus pensamentos e não tenho tanta disponibilidade para as pessoas como gostaria de ter. Mas, normalmente, são muito agradáveis e vêm-me dizer coisas lindíssimas. Dão-me força e os parabéns. E gostam imenso da "Leonor" e da Amália. E é muito giro porque associam as duas. Nós não somos nada sem o reconhecimento do público. Mais do que qualquer outra coisa, nós trabalhamos para o público e é maravilhoso.
fonte: site JN

Perfeito Coração diário

A ficção nacional da chancela de Carnaxide "Perfeito coração" vai bater naquela antena, todos os dias, ao contrário do que sucedia: ia para o ar apenas aos fins-de-semana. O director de Programas põe em prática a decisão, justamente num ponto viragem na trama.
"Sempre acreditei que este produto tinha força suficiente para chegar a mais pessoas e não podemos ignorar esses sinais", afirmou Nuno Santos, ontem, ao anunciar oficialmente a decisão de exibir diariamente na SIC a intriga protagonizada por Sandra Barata Belo e Ricardo Pereira. E prosseguiu: "Sensivelmente há três meses, aquando do lançamento da novela, disse logo que o horário de fim-de-semana era um ponto de partida e não de chegada".
O responsável pelos Programas da estação, regulando-se por uma atitude prudente, testou, numa primeira instância, a performance de "Perfeito coração", por forma a ter indicadores consistentes de que captaria público (obtém uma média de 22% de quota), ainda que assegure ter noção "do horário de difícil fidelização perante a oferta da concorrência". Releve-se que a novela ocupará, já a partir de hoje, a grelha do canal logo após o "Jornal da Noite", de segunda-feira a sábado.
Resposta imprevisível
"A produção tem-se mostrado competitiva e apetecível do ponte de vista publicitário e uma estação comercial como esta não se pode desligar dessa realidade", salientou o director de Programas. Porém: "Em televisão 'never say never'", referindo-se à imprevisibilidade da resposta dos espectadores, embora não cogite um retrocesso neste reposicionamento.
O ventilar do reajuste horário da novela veio a reboque da antecipação à Imprensa das imagens que veiculam o tão ansiado reencontro entre os protagonistas "Pedro" e "Leonor", interpretados por Ricardo e Sandra, respectivamente. O capítulo em que se quebrará o enguiço da distância ditada pela proibição do seu amor, irá para o ar na sexta-feira, sendo que até lá toda a narrativa vai confluir nesta espécie de clímax.
No entanto, e não faltam mais de 100 episódios para o fim da história, entretanto já toda gravada, o aguardado momento a ter lugar em Berna, em jeito de reminiscência do sucedido nos primórdios do enredo, contará com um outro elemento na equação. O marido de "Leonor" surpreenderá o casal.
"Trata-se de uma fase de inversão na novela", frisou Nuno Santos, quem explicou que, nesta senda "fez sentido aplicar agora o novo horário", até porque, não obstante "a decisão estar tomada há algumas semanas", nas quadras festivas "há uma dispersão no comportamento do público".
fonte: site JN