Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sicblogue

Pare Escute e Olhe premiado em Itália

O documentário "Pare, Escute, Olhe" de Jorge Pelicano, recebeu este sábado, na 59ª Edição do Trento Film Festival, em Itália, o Prémio "Cittá di Bolzano", para Melhor Filme de Exploração e Aventura.
Na opinião do júri, "este documentário mostra o que acontece ao povo quando o sistema político é mais influenciado pelos interesses privados do que os interesses de uma comunidade. É um grande exemplo de cinema interventivo que nos deixa a pensar".
Neste festival, dedicado na sua maioria a filmes de montanha, estiveram a concurso 27 filmes de vários países. Para o realizador, este prémio "comprova que o fecho da linha ferroviária e repetidas injustiças para com o povo transmontano também não deixaram indiferente o público italiano e júri internacional. Espicaçar, não deixar as pessoas indiferentes, era um dos objectivos deste documentário. Mesmo a uma grande distância de Portugal, as pessoas sentiram a revolta. A mensagem do filme foi compreendida".
Depois do reconhecimento em Portugal (DOCLISBOA, CINE ECO e Caminhos do Cinema Português), este é o oitavo prémio para "Pare, Escute, Olhe", um documentário que pretende ser um grito de alerta na defesa da identidade de uma região transmontana.

Pare Escute e Olhe estreou

Estreou este sábado à noite na SIC o documentário Pare, Escute e Olhe. Da autoria de Jorge Pelicano este retrata o progressivo abandono da Linha do Tua classificada como linha turística. Um documentário com cerca de 1 hora que estreou ontem na SIC nos 4,6% de audiência média e 23,4% de share tendo sido o 9.º programa mais visto do canal durante o dia de ontem.

"Pare, Escute e Olhe" de Jorge Pelicano passa na SIC a 16 de Abril

O documentário «Pare, Escute, Olhe» tem estreia marcada na SIC (co-produtora do filme). Adaptado a uma versão de 55 minutos, o documentário será exibido a 16 de Abril, depois da telenovela «Laços de Sangue».
Dezembro de 91. Uma decisão política encerra metade da centenária linha ferroviária do Tua, entre Bragança e Mirandela. Quinze anos depois, o apito do comboio apenas ecoa na memória dos transmontanos. A sentença amputou o rumo de desenvolvimento e acentuou as assimetrias entre o litoral e o interior de Portugal, tornando-o no país mais centralista da Europa Ocidental.
Os velhos resistem nas aldeias quase desertificadas, sem crianças. A falta de emprego e vida na terra leva os jovens que restam a procurar oportunidades noutras fronteiras. Agora, o comboio que ainda serpenteia por entre fragas do idílico vale do Tua é ameaçado por uma barragem que inundará aquela que é considerada uma das três mais belas linhas ferroviárias da Europa.
«Pare, Escute, Olhe» foi distinguido com seis prémios no DocLisboa e no Festival de Seia.